Você sabe dos problemas mais comuns da raça Bulldog?

4 minutos para ler

Os Bulldogs são brincalhões e muito leais aos seus tutores. Por não serem cães para criação no quintal, são excelentes companhias para quem mora sozinho ou para quem tem crianças em casa. Contudo, a raça é uma das que mais apresenta problemas de saúde e, por isso, é preciso se informar bem antes de levar uma dessas belezinhas para casa.

No Brasil, as raças mais comuns são o Bulldog Francês e o Bulldog Inglês. Algumas complicações são comuns às duas raças, e os cuidados que exigem também são semelhantes. Entretanto, a variedade inglesa é mais sensível e requer atenção em dobro.

Quer saber quais são os problemas de saúde mais frequentes da raça Bulldog? Então, continue conosco!

Origem, semelhanças e diferenças das raças

A raça Bulldog tem origem na Inglaterra no século XIII, quando os cães eram utilizados em lutas com touros. Com o passar dos anos, as lutas foram proibidas e uma nova era surgiu para os Bulldogs.

Por volta de 1800 exemplares menores foram levados para a França, o que delineou os atributos diferentes às novas linhagens e, nos Estados Unidos, a raça ganhou as famosas orelhas de morcego.

Ambas as raças passaram a ser selecionadas com foco nas características físicas e em um temperamento dócil, o que os tornou populares como cães de companhia. Apesar de serem bastante diferentes, tem gente que confunde os peludos.

O Bulldog Inglês é nitidamente maior, mais pesado e com aparência mais carrancuda que o simpático Bulldog Francês. Além disso, as orelhas têm inserção mais baixa na cabeça e são menos agitados. A variação francesa é menorzinha, mais leve, mais ágil e tem as orelhas grandes e eretas, lembrando as de morcegos.

Em relação às semelhanças, podemos destacar a cara amassada (braquicefálicos), as dobrinhas no focinho e os problemas de saúde.

Problemas comuns da raça Bulldog

As principais semelhanças entre a raça Bulldog Inglês e Bulldog Francês estão relacionadas a sua saúde. Veja algumas a seguir.

Síndrome do cachorro braquicéfalo

Esse é um problema comum às raças que têm o focinho achatado. Os cães apresentam dificuldades para respirar e, nos casos mais graves, podem ter as vias respiratórias obstruídas. É preciso ter cuidado nas horas de atividade física. Além disso, é bastante comum que os cãezinhos ronquem.

Hipertermia

Nenhuma das raças tolera muito calor e, por isso, não devem ser expostos a altas temperaturas e os exercícios físicos devem ser sempre moderados. Nada de levar os Bulldogs ao seu extremo, ok? Uma hipertermia pode ser fatal.

Obesidade

Ambas as raças têm tendência à obesidade. Portanto, é preciso ficar atento ao peso, oferecendo rações balanceadas e, de preferência, específicas para Bulldogs. O sobrepeso pode afetar as articulações dos quadris, joelhos e cotovelos — predisposições das raças.

Dermatites

É difícil ver algum Bulldog que não tenha algum problema de pele. Dermatites, alergia alimentar, alergia a produtos de limpeza, sensibilidade a fungos… São transtornos bem comuns.

É importante lembrar que as dobrinhas no focinho precisam de cuidados diários — devem estar sempre limpas e secas; caso contrário, causam assaduras e infecções.

Problemas oculares

Algumas disfunções relacionadas às pálpebras (entrópio, olhos de cereja) e à falta de lubrificação dos olhos (olho seco) também merecem atenção. É comum os pets que tenham olhos mais saltados apresentarem machucados nessa região.

É sempre bom destacar que, se você está pensando em estar junto a um desses adoráveis cachorros, deve procurar por criadores sérios, que disponibilizem pedigree. O documento comprova que o canil é regulamentado e que os cruzamentos são realizados priorizando a saúde dos peludos e as melhores características das raças.

A raça Bulldog é uma das mais queridas pelas pessoas de todo o mundo. Seus traços peculiares e sua docilidade os fazem cães muito adoráveis. Porém, é preciso muito cuidado com o bem-estar de ambos. Por isso, faça visitas periódicas ao veterinário da sua confiança!

Gostou do nosso post? Então, siga nosso perfil nas redes sociais e não perca mais nenhuma das nossas publicações! Estamos no Facebook e no Instagram.

Você também pode gostar

Deixe um comentário